Olá, pessoal!

A partir de hoje, em paralelo aos conteúdos postados sobre banco de dados, irei compartilhar conteúdos sobre o Power BI.

Para quem ainda não conhece ou ouvir falar, o Power BI é a uma ferramenta Self-Service BI da Microsoft lançada em 24 de julho de 2015.

De modo geral, segundo o site do próprio Power BI, a sua definição é:

O Power BI é um conjunto de ferramentas de análise de negócios para analisar dados e compartilhar ideias.

Quando ele menciona “conjunto de ferramentas”, entenda isso como uma composição de três suplementos do Excel:

  1. Power Query
  2. Power View
  3. Power Pivot

O Power Query é um suplemento que conecta-se às fontes de dados permitindo a combinação e refinamento dos dados, além de criar rotinas automáticas para o tratamento das informações carregadas.

Essas informações são carregadas em um formato tabular para o Power Pivot

O Power Pivot, por sua vez define o relacionamento entre essas informações e permite que você crie medidas e colunas calculadas definidas no modelo de dados como você deseja. Em seguida, o Power View conecta-se ao modelo e disponibiliza os dados com diferentes gráficos, filtros, relatórios, além de outros elementos de visualização.

Como a Microsoft já havia desenvolvido ferramentas distintas que realizavam todo o ciclo de BI, ela decidiu agregar todos esses recursos em uma única ferramenta: O Power BI.


O Power BI Desktop, unindo todos os recursos citados acima, pode conectar-se a muitas fontes de dados, transformando-os, carregando-os em um modelo que permite relacionamentos para, finalmente, visualizá-los em estilo de relatório.

Durante o desenvolvimento no Power BI Desktop, são criados arquivos com a extensão * .pbix, os quais podem ser publicados diretamente no site do Power BI, onde todos os usuários podem ver  e interagir com o relatório a partir da navegação da web.

Note que acima, citei o Power BI Desktop,  e não apenas Power BI.

Ao desenvolvendo relatórios, utilizamos o Power BI Desktop.
Quando o relatório está publicado na web, utiliza o Power BI Services.
E quando o usuário acessa pelo Smartphone / Tablet, ele utiliza o Power BI Mobile.

No começo, pode parecer meio estranho uma única ferramenta apresentar-se de várias formas, dependendo de como e onde ele é acessado. Mas, no post seguinte, veremos como esse ciclo fecha, fazendo todo o sentido.
Por hoje é isso.

Logo mais estarei de volta, dando continuidade a explicação de funcionamento do Power BI, além de muitos exemplos de uso no cotidiano.
Não percam os posts. 😉
[]s.

Meirieli Ribeiro

Power BI – Introdução
Classificado como:                    

Uma ideia sobre “Power BI – Introdução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *