Olá, pessoal!

Há alguns dias atrás, tentando ajudar um amigo com a instalação do Gateway, chegamos a algumas conclusões importantes que eu gostaria de compartilhar com vocês.
Por isso, vou escrever um série de posts sobre o Gateway e como agendar a atualização automática dos dados.


No post de hoje vamos entender como as conexões do Power BI funcionam, o que nos levará a entender o Que e Por Que é preciso instalar o Gateway.
Para fins didáticos, irei utilizar dois arquivos como exemplo:

  • Excel (XLSX)
  • Arquivo de Texto (TXT)

O arquivo TXT ao ser importado para o Power BI, será a minha tabela Vendas.
O arquivo Excel será a tabela Cliente, conforme abaixo.

A partir da importação desses dados, conseguimos criar as tabelas, as quais, possibilitam criar um relatório com as informações disponíveis.

Seguindo essa lógica, conseguimos definir um fluxo, onde é muito mais fácil entender que o modelo funciona da seguinte maneira:
1 – Conectamos o Power BI em fontes de dados distintas (Nesse caso utilizei um Excel e Arquivo de Texto, mas poderia ser em um banco de dados, por exemplo);
2 – Criamos tabelas a partir dos aquivos importados (Cada arquivo tornou-se uma tabela);
3 – Relacionamos as tabelas com algum campo em comum entre elas (No caso IdCliente);
4 – Criamos os objetos no relatório (Desktop) utilizando as informações provindas dessas tabelas.


Quando publicamos o relatório na Web, ele envia o Modelo de Dados e os Relatórios desenvolvidos, conforme é possível observar na imagem abaixo:

Note que no Power BI Online não é possível ver o conjunto de dados com os relacionamentos (todos bonitinhos) igual vemos no Desktop. Essa imagem é apenas para fins ilustrativos, ok?

Esse conjunto de dados enviada junto com o relatório serve apenas como uma “máscara” para que os objetos mostrem os dados exatamente como o desejado. Porém, não possui utilidade nenhuma se não receber as atualizações.

Então, temos o cenário abaixo:

Como atualizar as informações do Modelo de Dados na web, se não conseguimos conectar diretamente na Fonte de Dados?

O Gateway é o recurso que faz essa conexão.  Ele funciona como uma ponte, autenticando-se nos seus arquivos / bancos de dados locais e enviando-os dados para o cloud.

Nos próximos posts daremos continuidade ao assunto, explanando como o Gateway funciona e como configurá-lo.
Até lá.

Att.
Meirieli Ribeiro

Power BI – Gateway – Parte I
Classificado como:                                        

Uma ideia sobre “Power BI – Gateway – Parte I

  • 16 de janeiro de 2018 em 2:18 AM
    Permalink

    Assunto importante e excelente explicação. Parabéns! Vamos para os próximos posts.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *